segunda-feira, 7 de agosto de 2017

De quando eu lia, e não era lá grande leitora...

Não posso dizer que esteja a adorar o livro do momento (Olhos Verdes, Luísa Costa Gomes). Os personagens são estranhos, o tema é turvo, não incide, anda ali de roda do misticismo, lago onde, como se sabe, não há clareza. Mas gosto de o ler, e empolga-me qualquer coisa, só não sei claramente porquê. Lá está, claramente. Posso clarificar a coisa indo buscar a ideia ah e tal a autora escreve diferentemente, tem uma marca própria, que não se aparenta nada com a minha, e a impressão que me faz ler livros que parece eu a ditar-me coisas, oh caraças. Se calhar é por aí, isso de gostar de ler este livro. Mas não sei, ok, não sei.
Das quarenta e uma páginas do capítulo quinto não li senão duas e pouco, raríssimas vezes deixei que tal coisa acontecesse em alguma das minhas leituras. Mas foi o que aconteceu hoje, teve de ser, era aborrecido por demais, percebo que era preciso, funciona assim como uma achega ao tema com base numa personalidade que escreveu e viveu umas coisas, ou viveu e escreveu umas coisas, deve ser antes isso. O que acontece é que eu tendo saltado trinta e tal páginas encontro-me a pouquíssimas do fim da leitura.



|11 novembro 2015|


Sem comentários: