segunda-feira, 22 de agosto de 2016

À despedida

(Ai que já me esquecia! Esquecimentos por entre leveza e graçolas é coisa infantil, lá está.)

Do lugar da musa, tenho a dizer que hoje passei um frio do caneco, quando sentada numa cadeira transparente, por conta do ventilador do ar condicionado mesmo direito a mim. O horror, detesto o frio. Não há vez nenhuma em que me dirija para lá, os pezinhos um à frente do outro, vulgo andar, e, ena tantas vírgulas, ao passar junto do lugar da musa do antigamente, me não dê vontade de voltar a entrar. Só que não. É que lembro de supetão os cafés horríveis que lá bebi e não. Não. Por ora, não. Mormente e ademais, se a musa está em todo o lado, ora essa.
A planta à janela não estava à janela. Férias dos senhores donos dela...? E agora eu recebia um imeile a dizer 'ó Gina, olhe que eu leio o seu blogue todinho e decidi satisfazer o seu desejo de saber que é feito dos donos da planta à janela, pois bem, atão a gente tá de férias no Algarve, é o que é'. E eu ia ficar a achar-me o máximo, muito criativa e tal, muito de acordo, muito por dentro de. Da vida das pessoas. Da vida de toda a gente.
Estou a ser tão infantil, não estou. Estou.

Sem comentários: