quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Excentricidade

Cruzei-me com a senhora a quem chamei em tempos de circense - isto no blogue, note bem: no blogue - por tudo nela conter a excentricidade dos artistas pirosos e repelentes. É uma palhaça, no mau sentido que se puder dar à existência de palhaços, e eu neste momento posso, porque estou no blogue. Notei-lhe um âpegreide em termos de penteado. Agora, a juntar aos tótós do costume, tem a nuca e as têmporas aparadas em pente dois.
Seguidamente dou uma na ferradura, está bem. Está.
Lá por esta senhora ter um aspeto piroso e repelente, não significa que não seja capaz de pensar capazmente e de possuir gostos ditos de gente com estatuto nos píncaros. Os exemplos são:
ler livros com títulos feministas;
aplaudir o pianista entusiasticamente ao fim dos últimos acordes
Pois.

Sem comentários: