terça-feira, 2 de agosto de 2016

Árvore amarela

Sempre posso pôr as pedras que trouxe do Mediterrâneo junto à oitava árvore que encontra do lado direito quem desce a rua mais bonita de Lisboa. É que as obras ao redor da árvore amarela ainda não findaram, hoje lá andava a mini retro-escavadora dum lado para outro, e vi novamente os bancos na posição de rei de (escolho) copas (para parecer fofinha). Se deixar passar muito tempo o intento perde piada, o Mediterrâneo é coisa de verão, para mim é, nunca o vi no inverno.

Sem comentários: