sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Dezassete e quatro

Terminei a estafa de abrir sessenta caixa de lâmpadas. Ou seja, espera lá que assim é pouco, abri, puxei a língua, fechei, rabisquei equivalências, marquei e arrumei sessenta lâmpadas. Isto de abrir, puxar e fechar teve de ser por conta de aquela língua fazer uma altura indesejada na hora de arrumar nas prateleiras, é que assim vinham ter ao chão duma altura de onde não escapariam sem se partirem. Póque!, seria o som. Sei como é, sei, ao longo destes vinte e dois anos já deixei escorregar-me tantas das mãos...

Sem comentários: