quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Lugar (que também pode ser) da musa

A menina perguntou a um cliente indeciso entre dois produtos bebíveis se um deles era em alternativa ao outro. E era.

Alguém será assim tão observador?
Como se o mundo afinal não lhe chegasse?
Às vezes fico cansada e não é pouco...

2 comentários:

Susana Rodrigues disse...

pois cansa... (acho que também sou assim)
quando tinha 5 anos perguntei à minha mãe que letras eram aquelas que o carro dela tinha (matrícula), ela explicou-me o conceito de matrícula, cada carro tem uma combinação diferente e eu desconfiei muito daquilo, achei que alguém se ia esquecer que já tinha posto aqueles números e havia de os repetir noutro carro, então arranjei um caderno e pus-me a anotar cada matrícula que via, para confirmar que eram todas diferentes, tarefa que depressa se revelou impossível e extenuante, especialmente porque eu escrevia muito devagar, mas as matrículas ficaram-me sempre. ainda hoje tento apanhar a matrícula que muda de modelo (matrículas seguidas são do mesmo modelo de carro em uma data de números sequenciais, consecutivos, até que muda de modelo dentro da mesma marca e depois de marca...)
mas isto não interessa nada. desculpa. como disseram sempre as minhas irmãs mais ou menos em coro, eu sou uma chata.
:-)

Gina G disse...

Menina-grafómana, tu. ;)

Durante a infância, particularmente depois de saber fazer contas de cabeça, punha-me a juntar as parcelas das matrículas, quando resultava em 100 fazia uma festa. ;)

Desculpar o quê, ora essa. Eu já reparei que, por exemplo, e isto depois de 'muito' adulta, os carros de firma e assim trazem muitas vezes a sequência em si. ;)

Já aconteceu cá em casa, dois carros seguidos com os mesmos números, na mesma ordem, mas obviamente letras diferentes, e a gente ficar a pensar nas coincidências que o destino traz à vida.

Bom fim de semana