terça-feira, 29 de novembro de 2016

1 Primeiro
4 Depois
1 Entretanto

Primeiro pus-me a fazer uma contagem decrescente no lbogue... ai perdão, blogue. E eis que hoje faltam nove dias e eis que hoje faltam oito e sete e seis e vai que daqui a cinco dias acontece isto, isto dizia eu, e dizia que o decrescente era no sentido de brindar o povo que lê o blogue com a notícia de que sim, finalmente se haviam acendido as luzes de Natal em Lisboa!
Depois pus-me a fazer a minha Árvore. Enquanto andava à roda dela lembrei-me mais duma vez que devia mas era ter feito o decréscimo relativamente ao enfeitar da minha Árvore. Mas não.
Depois, como era sábado, ainda pensei, olha vou mas é tirar umas fotos enquanto passeio o cão (que isso de ver perspetivas bonitas e ter vontade de as captar são coisas que geralmente não me abandonam, o que acontece é que tenho tanta coisa para escrever e para falar que deixo as fotos para depois) e assim meto no blogue algumas, faço um montinho de posts e já não parece mal pôr o decréscimo sozinho e abandonado no blogue. É que pode às vezes quem sabe e tal (ausência de vírgulas propositada) os leitores repararem que a Gina não publicou o post 'Primeiro' e porem-se a pensar ah o que será que lhe aconteceu será que está tudo bem com ela (e aqui não me apeteceu também as vírgulas e tampouco os pontos de interrogação mas vai-me apetecer o ponto final já a seguir ao fecha-parêntesis). Portanto vai que lá pus eu as fotos no blogue e também o tal do decréscimo de dias.
Depois, à noitinha, visitei o estaminé. É um bocado aborrecido, principalmente para mim, pôr-me para aqui a explicar porque é que visitei o estaminé às onze e tal da noite dum sábado chuvoso. Portanto ficamos assim: eu, no sábado à noite, chovia pra caraças, fui forçada a visitar o estaminé por modo duns trâmites parvos à brava, e vi que as luzes de Natal se haviam acendido aqui assim por esta zona, embelezando-a. Ou então tornando-a luminosa, vá.
Depois aconteceu que o meu decréscimo esmoreceu completamente, não valeria a pena continuar, haviam acendido as luzes a vinte e seis de novembro e não a um de dezembro, como eu erradamente julgara. Tipo assim já não valer a pena pôr-me com contas e mais não sei o quê.
Entretanto junto a este post as luzes lindíssimas que puseram nas árvores da praça do Chile. Ou seja: noticio o facto. Parecem iluminados cachos de uvas, mas na verdade não têm nada a ver, é que nem as árvores da praça do Chile são videiras, quanto mais, e acresce que não sei de que espécie são. E fazem pisca-pisca, esses cachos que o não são.

Sem comentários: