quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Por falar em rasgão

O meu bloquinho rudimentar estava a pedir abastecimento, de maneiras que me pus a rasgar mais umas folhinhazinhas ao bloco obsoleto em termos profissionais. Rasguei e rasguei e comecei a achar que o melhor a fazer era rasgar umas quantas folhinhazinhas do fim, a ver se os agrafos dão de si rapidamente, e um dia saiam de vez, libertando as folhinhazinhas do jugo que é, ou pode ser, algomerações e apertanços, mesmo tratando-se de folhas sem sentimentos, é que neste caso os sentimentos estão em mim. Então, tudo isto não quer dizer nada de jeito, mas quer dizer que no lado que pertence ao direito, como se dum tecido se tratasse, o próximo número a rasgar será o novecentos e setenta, e no lado do avesso será o novecentos e noventa e quatro. Acresce ainda a esta temática montes de interessante que os agrafos são três, dois estão mancomonados com o lado direito, como se dum tecido se tratasse, do bloco, e o agrafo que resta está obviamente solidário com o avesso.

Sem comentários: