quinta-feira, 16 de março de 2017

Posta-restante

No seguimento do post anterior, o que tiro do bolso da mala até chegar à caneta que tanto me acompanha é mais que muitas coisas, as quais têm, e notem bem, uma utilidade extrema.

1. Livrete do automóvel por conta dos senhores agentes
2. Saco de fibra para compras inesperadas
3. Papelinhos com notas acerca dos meus vídeos quando ainda virgens

E o bloquinho rudimentar, pensarão vocês, se aquando da necessidade ou vício de escrever, me dará tanto que fazer ou então não, eu digo que dá um trabalho danado encontrá-lo no meio de todas as coisas que transporto comigo todos os dias.
E, já agora, fica neste post mais uma posta-restante:
Como sabem... se não sabem não faz mal, gosto de vocês na mesma, já não carrego a máquina fotográfica não tão espectacular assim, substituindo-a pelo caderno azul que a rica filha me deu. De maneiras que é assim: o peso é o mesmo. Contudo, dias há em que levo a máquina comigo. Num desses dias houve este clique, ó:




Sem comentários: