sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Coisa

Durante este ano aprendi indubitavelmente muitas coisas, mas há uma tão recente que ainda escalda e que me repito já, dizendo que é uma coisa de repetições. Pois. Dum modo geral é difícil as pessoas não repetirem os seus gestos e as suas expressões. Tempos houve em que isso me incomodava muito (falo agora das minhas repetições, apenas, e principalmente das que apresento nos posts e nos vídeos) mas entretanto fui descontraindo por me saber incapaz de ser original a toda a hora, bem como aprendi que quanto mais se busca o não-ouvido e/ou o não-falado, mais igual se fica. Entretanto, oh glória terrestre!, aqui há dias, oh!, dei por mim pensando na procurada repetição quando jogamos dominó. É que ao menos aí o repetir é desejado e não desdenhado, portanto uma repetição pode significar vitória e não corriqueirice ou redundância.

Expressõs
Ó pá tóin xiru!
, não é. É.
, não é. Não.
, não é. Não sei.
, está bem. Está.
Oh céus!
, iei!,
'migo/a/os/as
Olhem:
, sei lá,
Ó pá, atão
Eh pá,
, ora essa,
Ah ah.
, au eva,
, vai daí, pumba e coiso.
e acabou a conversa.
, então que é lá isso,
mesmomesmomesmo
bembembem
Assuntos
Lugar (que também pode ser) da musa
Septuagenárias
Árvore amarela
Árvore arredondada
Rua mais bonita de Lisboa
Banco hater
Muro de pedra

(Terei esquecido algum?)

Sem comentários: