quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Primeiro

Bom dia. São dez e trinta e seis. Haviam também folhas no chão do lugar escondido. Estarão lá sempre, umas ou outras, umas despegadas da terra, dos ramos, dos caules, outras no chão, mortas e espapaçadas. A vida não muda tanto assim, pois não?
A contagem do costume: vai em 65, os émebês gastos a ver as netes através do telemóvel.
Adiciono ainda questão importantíssima: enfiar uma balaclava (em português: passa-montanhas) nos cornos e ao depois um capacete faz-me conseguir um penteado de tal ordem que o melhor é não me encarar num espelho ou ainda desisto de permanecer atrás do balcão.

De nada, ora essa, então que é lá isso, há que viver, um dia vamos ser todos muito felizes.

Sem comentários: