sexta-feira, 28 de abril de 2017

As horas que são

Boa tarde. São quinze e vinte e oito. Estou aqui na disposição de continuar o dia escrevendo as merdas do costume, tipo assim mais ou menos o que me der nos cornos, que os marrei em mais não sei quantos miligramas de cafeína há bocadinho. De nada, ora essa.

Sem comentários: