terça-feira, 11 de abril de 2017

Lilás com coisinhazinhas

Bem que fiz bem em não ter posto o bloquinho rudimentar no contentor do papel a reciclar. Pois. Ontem precisei dele para apontar uma coisinhazinha numa das suas folhinhazinhas, aquando da permanência na casa do cliente da noite. Tipo assim:

«O cliente da noite tem uma casa-de-banho com mosaicos doze por doze, em lilás. Bonito chão.»

Entretanto, a camisola de treino era lilás e só não apontei esta coisinhazinha, igualzinha em cor, numa folhinazinha, porque o bloquinho rudimentar não estava comigo aquando da lembrança. Deduz-se, deduzo eu, que apontei a coisinhazinha na massa encefálica, que tem também folhinhazinhas para eu escrever, mas virtuais, ou coisa assim.

• coisinhazinhas sucintas (como que sendo de resto, vá):

• as folhinhas da árvore amarela já são tantas
• o poeta já mantém o rosto coberto de folhas das árvores dali assim, aquando da perspetiva do banco hater
• ponto: gcu

Sem comentários: