sábado, 29 de julho de 2017

#parecesasvelhotas

(pois pareço)

Lisboa, 29 de julho de 2017

Olá, bom dia.
Hoje é dia de trabalho, porquanto estou no estaminé, todavia sendo sábado.
Ah... - Farão vocês.
De nada, ora essa. - Faço eu de antemão.
Estive há pouco na frutaria do nepalês. Comprei uma maçaroca de milho. Gosto. É tão diferente do milho de lata, tão mais... sei lá, doce, crocante. Sabem quando um alimento contém mais sabor num grão, quando natural, do que em cem, quando enlatado? Pronto, se sabem, é isso, se não sabem, não faz mal, eu gosto de vocês na mesma. Uma vez digitalizei – isto agora mudando de assunto sem sair do mesmo parágrafo – parte da fatura da fruta, que ilustrando tem um pé com três cerejas e um cacho de uvas com uma folha da parreira e dois caules encaracolados, que são vínculos da uva preta.
Tenho ovos. Duas dúzias. Já usei o blogue para falar do meu fornecedor de ovos mais que muitas vezes, de maneiras que não estendo esse assunto.
Entretanto tenho que trabalhar. É.
Olá, boa tarde.
Mais logo tenho que fazer gelados. A ver se tenho natas que cheguem. Não tendo, tenho que me abastecer delas. Para os gelados, já descobri que saem melhor quando usadas as natas más. Calma. Chamo natas más àquelas de longa duração, as ultrapasteurizadas, ou lá que é. As outras, as boas, as frescas - é isso mesmo - têm um picozinho azedo no seu sabor que não dá um toque fixe ao paladar do gelado. Portanto, e incrivelmente, as natas más são melhores que as boas.
Estou aqui em conselhos, não sei se faça cobbler de fruta, ou não... Na cozinha, o cobbler é como o feijão. Com feijão fazemos feijoada à transmontana, sopa à lavrador, pastéis de feijão. É feijão, o elemento comum. O cobbler é igualzinho, só por dizer que não é feijão, é bolacha. O cobbler salgado é posto por cima de um preparado de carne, é portanto preparada uma massa sem açúcares, já o cobbler doce vai bem com bolacha docinha, de manteiga ou de natas. Aqui há tempos fiz cobbler de fruta e tirei fotos. As fotos têm então muitos tempos também. Este assunto era um rascunho que andava para aqui no meu documentozinho do coração há também, pasme-se!, montes e montes de tempos. Hoje não tenho tempo para expor a receita com os trâmites todos e mais não sei o quê, nem vou prometer que a porei no blogue um outro dia, nada disso, vou só acrescentar que o cobbler é uma iguaria doce ou salgada, um guisado ou uma compota, aprimorados em sabor, particularmente ao gosto de quem os prepara, que depois se lhe coloca por cima as ditas bolachas. É uma espécie de crumble, por assim dizer, só por dizer, também, que não tem nada a ver e não é melhor nem pior, é diferente e acabou esta conversa.
Boa noite. Bem vindos à despedida de mais um post.
Quer-me cá parecer que eu também pareço as(os) velhotas(os), sempre contando as minhas novidades a mim mesma.

#pareceasvelhotas foi uma ideia começada no blogue a voz à solta, continuada no Pipoco Mais Salgado e há pouco fui dar com a continuidade no xilre


Altero este post a posteriori. Então não é que masqueceu das fotos do cobbler?! Que no caso foi de pêras e cerejas, óié.





3 comentários:

Susana Rodrigues disse...

Uma pessoa não pode estar dois dias sem pousar os olhos nos blogues, e na manhã seguinte, que é esta, vem constatar um movimento que, se já de si estava totalmente ilustre, agora ficou delicioso.

(mas cobbler, caramba, eu não conhecia)

:-)



Gina G disse...

Delicioso por conta do cobbler?

:-)

Gina G disse...

Olha, reparei agora que nem as fotos do cobbler publiquei! Estou mesmo velhota!