quarta-feira, 5 de julho de 2017

Sablé

Aprendi hoje que aquelas bolachas com ondinhas em todo o seu redondel e com o topo forrado de açúcar que não despega mas que não está caramelizado nem nada disso e que são amarelinhas, amarelinhas... Só levam gemas na sua composição e são pinceladas com gema antes do açúcar.

Martha Stewart, obrigadinha. Sério.

Vou fazer no próximo fim de semana. Afinal não passa da tal massa vienense que já confecionei dezenas de vezes (leia-se demasiadas vezes), substituindo o ovo inteiro por duas gemas.
O aborrecido, há sempre uma coisinha aborrecida para vencer ou fingir que não se sente, é que há no frigorífico uma embalagem de massa folhada a findar o tempo de vida útil, isto se eu fizer caso da data impressa na embalagem, quando não, pumba e coiso, aguardo. Geralmente não sou esquisita com as datas expiradas, a menos que o produto me pareça alterado, quando assim é, nem hesito, vai para o lixo, mas se em aparência me parecer 'normal', vai ficando até que.

Posta-restante:
Não gosto da palavra normal, mesmo usando-a em coisas. Não gosto. Mas existe a aborrecida normalidade, o certo que sempre está errado, o parâmetro que se desvia por entre valores.

Sem comentários: