sábado, 27 de maio de 2017

De manhã

De manhã fui ao supermercado.

- - - ah... - - - não digas... - - -

Encontrei o meu vulgar automóvel de matrícula portuguesa sob um jacarandá. Resultado?
Pois, é isso, óleo e mais óleo vertido pela bela árvore.

- - - acho que é óleo... - - -

E não

- - - ai não, não - - -

não fui eu que o deixei lá.

Também tinha flores, que mesmo sob a deslocação do ar, nos cinco minutos que levo a chegar ao supermercado, não voaram dali.

--- ai não, não ---

O óleo não deixou, é peganhento.

- - - ...óleo? - - -

Será resina...? Não é.

- - - pesquisei e nada - - -


Oh.

Sem comentários: