terça-feira, 16 de maio de 2017

Finalmente

Encontrei, finalmente, a minha receita de scones, e quando digo minha, é mesmo minha que é para dizer porque fui eu que a fui apurando, muito embora tenha partido de uma base que observei em tantas outras maneiras de fazer, bem como a diversidade de ingredientes – há por exemplo receitas que levam natas, ou manteiga, ou leite, um ou outro destes ingredientes, ou dois, e uns contêm ovos e açúcar, ou então não. Então esta receita é minha:

Ingredientes:
350 gramas de farinha
50 gramas de açúcar
2 colheres de chá de fermento em pó
1 pitada de sal
200 mililitros de natas
3 colheres de sopa de manteiga líquida, ou derretida
Confeção
Colocam-se todos os ingredientes no processador e deixa-se a lâmina andar à volta até tudo estar feito numa bola.
Retira-se a massa e estende-se numa bancada até ter dois centímetros de espessura.
Cortam-se rodelas de massa, dispõem-se num tabulero forrado com papel vegetal e pincelam-se com leite, para lhe conferir alguma humidade.
Polvilhá-los com sementes de qualquer espécie - os da fotos têm sementes de papoila - é opcional, mas recomendo porque acresce uma textura aos scones, aparece-nos na boca algo pequenino para trincar com os dentes da frente, enquanto a língua se ocupa da massa.
Levam-se a meio do forno pré aquecido a 180º durante quinze a vinte minutos, ou até estarem dourados.






Sim, houve um dia que pensei: olha, posso muito bem usar o processador a ver se me safo com os scones. Safei-me e vou-me safando. Contudo, pode preparar-se esta massa à mão, tanto na bancada, usando as mãos, como na tigela, usando as mãos ou uma espátula, pois na verdade não precisa de grandes amassos, assim que tudo estiver misturado, para-se o amasso. Segundo apurei, um dos segredos dos scones quando amassados à mão, é que no segundo passo se esfregue a manteiga por modo a obter lascas, sendo o primeiro passo uma ligeira mistura. Claro que esta dica não pertence à receita descrita acima, já que está direcionada para o uso da máquina.
Quero ainda deixar um lembrete a mim própria, para quando daqui a muitos anos reler este post:
Ó Gina, é assim: ou deixas os scones com dois centímetros de espessura, ou então, esquecendo-te dessa medida, tipo a fazer de conta que são meras bolachas de manteiga e mais não sei o quê, tu vê lá mas é se os deixas somente dez minutos no forno.
É que publico uma foto que mostra scones bonitinhos, não mostrando ao mundo o que aconteceu aos da primeira fornada... Mas conto: deixei-os queimar, esqueci-me de os fazer com os tais dois centímetros e vai que os deixei no forno durante vinte minutos. Então eis que pumba e coiso, era a base esturricada e era a gente a fazer um corte horizontal para aproveitar as partezinhas de cima, que apesar de bem tostadas, se tragavam na boa.

Sem comentários: