quarta-feira, 3 de maio de 2017

Do peso que tenho

Senti-me gorda pra caraças ao depois de a pintora me dizer que eu devia saber muito bem como é aquilo assim-assim porque sou escritora.
Caramba, escritora...
É, acho que engordei toda eu, lado a lado, cima a baixo. Logo à noite nem vou subir para a balança, quando não, em vez dos habituais noventa e dois, tenho para aí noventa e três.

ganda poema:
sou escritora
eu sou
escritora
eu, escritora...
escritora, eu?!

Sem comentários: