domingo, 17 de julho de 2016

Primieor

Bom dia. São onze e trinta e sete. Deixei o título mal escrito para chocar as pessoas. Foi vez primeira, portanto fica assim, tem que ver com a tal espontaneidade e isso. 
Estou de férias, ainda, é hoje o derradeiro dia.
Tenho saudades de escrever sem freio e também de escrutinar a árvore amarela, tenho até saudades de falar acerca da pedra da crua vermelha, bem como da própria. Deixo vídeo repleto de momentos do meu dia de anos. Há cabras montesas, montes delas, os montes que são delas, ah ah, mas começa, vejam só, com uma corridinha desta que escreve.




Sem comentários: