quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

As horas que são

São dezassete e quarenta e cinco. Fui ver o latim e não trouxe de lá nada. Podia ser pior, podia ter-se-me rebentado qualquer coisa cá por dentro com a subida íngreme a que me sujeitei. Podia ser melhor, podia ter trazido ideias para escrever, e nem era preciso serem ideias sobre o latim e/ou o monumento nem nada, era qualquer coisa, já que, qualquer coisa me serve para escrever. E vou adendar um assuntozinho no mesmo parágrafo, uma boa meia hora depois da hora acima anunciada, é que entretanto vivi isto, ó: estive de roda dos pacotes de cera amarela, os rótulos vinham enfolados e isso assim, umas quantas pontas levantadas fê-los colarem-se uns aos outros e eu ocupei-me a amanhá-los.

Sem comentários: