quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Bolo a (não?) fazer

Deixei passar de prazo o programa do Rudolph (canal 24 Kitchen) que passou a 11 de julho último (o dia dos meus anos, óié), onde foi apresentado um bolo especial e diferente, por juntar chocolate branco e chá verde. É que não deu para fazê-lo, primeiro porque achei que dava tempo, afinal os programas detêm-se na box uns bons seis meses, depois porque as experiências culinárias a experimentar amontoaram-se, e não foi pouco, depois veio o Natal...
Agora o que posso fazer é, por exemplo, inventar.
Para mim, a grande novidade neste bolo é o chá verde. Mas desde quando é que se põe chá em pó num bolo? É que chá em modo líquido, ainda vá, um líquido quente dá um empurrão do caraças ao crescimento da massa, aquando no forno, e tal e tal, mas pó?! No programa, o Rudolph mostra um pó muito verdinho, assim ao nível do pistácio, uma cor linda, cheia de presença, que junta à massa referindo que é pó japonês, coisa rara neste lado do planeta. Eu cá, quando fizer este bolo, espeto-lhe mas é com folhinhas de chá verde, que picarei finamente, auxiliada pela picadora. Ainda uma característica do dito pó: dá cor à massa. Sério. O bolo ficou verdinho, verdinho, cor que não alcançarei com as regulares folhinhas de chá verde, e europeu, contento-me portanto com a disparidade que se percebe ao comparar chá verde e chocolate branco.

Sem comentários: